Madeira

Como qualquer outra cultura a madeira pode perfeitamente ser administrada e cultivada, porém com um tempo maior para sua formação. Ela brota, cresce, desempenha seu papel e naturalmente com um longo tempo apodrece cai e entra em decomposição como qual quer material orgânico gerando carbono para a atmosfera. A única energia que a natureza consome para produzir este material é simplesmente a luz solar, que alem de ser farta não há nenhum custo. Você tem idéia de quanto custa em energia produzir uma quantidade de plastico ! Não vou entrar nesse mérito.

Portanto aproveitar a madeira que a natureza oferece é uma forma de evitar sua decomposição, e de certa forma estamos evitando a emissão de carbono produzindo um depósito de carbono com seu aproveitamento tal como a extrutura do telhado de sua casa.

O crescimento da madeira é radial e ocorre em duas fases por cada ano, é marcada pelos anéis anuais, diferenciado pelas pelas estações primavera e verão, com mais luz produz um crescimento mais rápido e uma madeira mais mole, e nas estações de outono e inverno com menos luz tem uma madeira mais escura e de dureza maior formando assim os anéis anuais, onde pode-se até determinar o quanto cresce uma árvore em um determinado tempo.

A primeira fase do crescimento ocorre com o desenvolvimento da casca ou cortiça, antecedendo a ela já em uma fase adiantada forma-se o alburno onde ocorre a circulação da seiva bruta, que o vegetal usa para a produção de glicose e sua manutenção. (Figura 1)

Com o desenvolvimento natural a parte interna ao alburno perde sua função de transmitir a seiva e transforma-se em madeira dura e resistente que tem por finalidade sustentar o vegetal.

Na parte interna no centro do vegetal temos a medula, é uma madeira fraca de baixa resistência e a que primeiro se decompõe.

A madeira vista em um microscópio.

Podemos então concluir que a parte interna ao alburno é o que aproveitaremos como como madeira, e a medula também é uma parte que pouco interessa como madeira. Salvo em alguns serviços, em que a levesa da madeira deve ser levado em conta, e a faciidade decortar tambem seja importante, como é o caso das madeiras aplicadas em modelismo, nrmamente pe a balsa mas sua parte em que melhor é aproveitável é justamente a medula, e facilidade de corte .

A estrutura da madeira esta diretamente ligada a formação dos anéis anuais e dado a posição do corte de onde esta determinada peça foi extraída podemos determinar como usá-la.

Quando precisarmos de uma tábua ou seja uma peça onde a largura é muito maior que a espessura podemos escolher a parte onde estes anéis sejam paralelos a sua face, o que nos oferecem uma resistência maior principalmente quando ao pregar.

Por outro lado ao obtermos uma peça onde os anéis sejam perpendiculares a sua face notaremos que até mesmo quando ao pregar certamente haverá uma ruptura, desta forma estas peças podem perfeitamente serem aproveitadas para peças maiores como por exemplo uma viga ou dormente.

Figura 3
Esta combota não terá muita resistência nos extremos.

Veja na figura ao lado as diferentes posições de corte para o melhor aproveitamento da madeira.

Entender como aproveitar a madeira é importante para preservar sua estrutura. Na construção naval é importante observar tanto sentido dos anéis como também o sentido das fibras, pois o fato de lidarmos com peças que dificilmente são de forma regular podemos correr o risco de obter uma peça aparentemente forte, mas sem estrutura para suportar o esforço requerido.

É o que ocorre normalmente em um peça curva

Se uma cambota ou curva qualquer de uma caverna por exemplo for extraída de uma parte qualquer do toro sem observarmos o sentido do anéis corremos o risco de obtermos uma peça inadequada ao seu propósito. (Figura 3)

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar