Dicas de Modelismo

Pregos em cobertas

Muitas vezes observamos que as cobertas (decks) dos navios são pregadas. Normalmente ocorre que não encontramos os pregos ideais. E, também, as cabeças dos pregos ficam salientes, depreciando o trabalho. Observamos que nas maquetes essas cabeças não existem e os pregos ficam ajustados de forma correta enriquecendo a peça.

Para conseguir esse efeito é simples e fácil.

Vamos simular a utilização de pregos em uma coberta.

Em primeiro lugar devemos escolher a bitola que vamos utilizar. O material a ser empregado será o arame. Pode ser o arame de cobre ou latão, dependendo do gosto e da situação. Deve ser avaliada o que o modelo exige. Definido o material a ser empregado, escolhemos uma broca da mesma bitola do arame a ser utilizado.

Efetuamos os furos, com a broca, nos locais pré determinados da coberta. Faça todos os furos necessarios.

Terminado os furos, pegue o arame e vá introduzindo nos furos feitos com a broca. Enterre o arame até a final do furo. Corte com um alicate, bem rente à coberta.

Com um pequeno martelo, acabe de enterrar o arame nos furos de maneira que fiquem firmes. Com uma pequena lima, vá limando os excedentes do arame, tomando o cuidado de não arranhar a coberta.

Dê o acabamento final com uma lixa. Observe o resultado final dos trabalhos! Serviço perfeito que causa um belo efeito plástico na peça, fácil e sem complicações.

MOLDURAS – JANELAS E PORTAS

Às vezes observamos uma peça trabalhada e não sabemos como foi feita. Algumas são tão fáceis de serem feitas que nem imaginamos. É o caso dos desenhos em molduras, utilizadas em janelas e portas de diversos navios.

A ferramenta para executar esse serviço deve ser fabricada. Sua fabricação é simples e fácil. Você deve definir, primeiro, quais os desenhos que quer gravar na madeira (bordas das janelas ou portas). A ferramenta nesse caso será uma serra (cegueta) usada, podendo ser qualquer outro tipo de material.

Com o auxilio de um disco de corte, fazemos os desenhos na cegueta. Esse trabalho pode ser executado com lima, também, só que nesse caso o trabalho é um pouco mais demorado.

Com a ferramenta pronta, passamos por varias vezes no mesmo local, até ir se formando as caneletas e os desenhos desejados.

Resultado final dos trabalhos realizados em um esporão de proa.

MOLDURAS – JANELAS E PORTA

Às vezes observamos uma peça trabalhada e não sabemos como foi feita. Algumas são tão fáceis de serem feitas que nem imaginamos. É o caso dos desenhos em molduras, utilizadas em janelas e portas de diversos navios.

Com a ferramenta pronta, passamos por varias vezes no mesmo local, até ir se formando as caneletas e os desenhos desejados.

Resultado final dos trabalhos realizados em um esporão de proa.

FERRAMENTAL DO NAUTIMODELISTA

As ferramentas utilizadas no nautimodelismo não muitas e, também, não são sofisticadas ou caras. O ferramental vai depender muito da forma como você quer se dedicar ao hobby. Ou seja, vai querer fabricar todas as peças? Ou vai simplesmente adquirir kits pré cortados para a montagem?

Se você optar em construir todos os acessórios e fittings, o ferramental deverá ser um pouco mais extenso, havendo a necessidade em se adquirir torno, serras de bancada, furadeiras, etc.

Mas se a opção for somente em montar os kits, as ferramentas são poucas e fáceis de serem encontradas.

style="color: rgb(51, 51, 51); font-family: "Roboto Condensed", sans-serif; font-size: 16px; font-style: normal; font-variant-ligatures: normal; font-variant-caps: normal; font-weight: 300; letter-spacing: normal; orphans: 2; text-align: justify; text-indent: 0px; text-transform: none; white-space: normal; widows: 2; word-spacing: 0px; -webkit-text-stroke-width: 0px;"> Abaixo alguns exemplos de ferramentas que deveremos utilizar em nautimodelismo.

Bote salva vidas - Chalupa

O primeiro passo é recortar as tabuas para fazer o molde do bote.

Colamos as tabuas com fotos abaixo.

Desenhar o contorno do bote, através das plantas, no bloco de madeira colado.

Depois de recortar o bloco, dar o acabamento para ficar no formado de um bote.

Fixar o bote salva vida em uma pequena tabua. Com uma furadeira fazemos os furos na tabua de suporte. Os furos devem ser efetuados ao longo do bote, nos locais determinados, onde serão colocadas as balizas do bote.

Balizas colocadas ao longo do bote.

Dar o acabamento, lixando as quinas e ângulos. Colar as primeiras tabuas, no sentido longitudinal, iniciando a colagem da borda.

Colar a falsa quilha.

OS DESENHOS ABAIXO SÃO AUTO-EXPLICATIVOS.

 
 

Marcar as bordas do bote, para confecção do corrimão.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar